Se você é empreendedor, vendedor, MEI ou tem seu próprio negócio, está na hora de rever essa prática.

Você vende fiado?

7 de janeiro de 2021

Mesmo saindo no vermelho em muitas situações, alguns donos de negócios e autônomos continuam a vender fiado por medo de perder clientes.

Se você é uma dessas pessoas, é importante parar e considerar alguns fatores antes de seguir com essa prática de vender e receber depois. 

1. Vender fiado pode ser pior do que não venderAlgumas pessoas continuam vendendo fiado porque não querem perder o cliente e nem a venda. Mas, se o tempo passa e o cliente não paga, você fica sem o produto e sem o dinheiro – ou seja, tem um prejuízo duplo.

Uma alternativa para quem quer parar de vender fiado, mas tem medo de perder clientes é oferecer mais opções de pagamento – como cartão de crédito, débito, transferências e até o Pix, novo meio de pagamentos instantâneos do Banco Central. 

Dessa forma, o consumidor pode escolher a melhor opção e você não sai no prejuízo.

2. Se o cliente não pagar, você vai ter que cobrarAo vender fiado, é importante estar preparado para cobrar os clientes – e se tem uma tarefa que pode deixar muito empreendedor desconfortável é cobrar.

Por isso, se você não gosta de lembrar as pessoas que elas precisam te pagar e não tem ninguém a quem delegar esta função, pode ser melhor não vender fiado.

Caso contrário, você pode acabar ficando no prejuízo porque não consegue cobrar quem está te devendo.

3. As finanças do negócio podem ficar bagunçadas Vender fiado é sinônimo de incerteza. Por mais que você combine um prazo de pagamento com o cliente, você não conseguirá cravar uma data para receber. 

Em outras palavras, você não poderá contar com aquele dinheiro até que ele esteja de fato no caixa – o que pode bagunçar seu planejamento financeiro. 

Além disso, caso o cliente não pague nunca, você terá esse prejuízo para contabilizar – o que também pode comprometer seu orçamento.

Afinal, se a máxima da boa gestão financeira é “receba primeiro, pague (fornecedores) depois”, no fiado não tem como saber quando e nem se você vai receber. 

Mas e se, mesmo assim, você quiser continuar vendendo fiado?

Uma alternativa para evitar prejuízos pode ser criar uma regra para dar esse voto de confiança ao cliente – como oferecer essa opção apenas para quem você conhece e sabe que vai te pagar, ou colocar um prazo para o pagamento. 

Dessa forma, você continua vendendo fiado, mas sem correr tantos riscos de levar calote.