Seu cérebro te sabota na hora de juntar dinheiro?

4 de março de 2021

A ciência explica por que pode ser tão difícil se planejar para guardar. Veja o que pode te ajudar a reverter essa situação.

Pagar todas as contas e ainda juntar dinheiro para realizar um sonho é coisa séria – e uma preocupação real para muitas pessoas.

Segundo uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 59% dos brasileiros pretendem poupar dinheiro em 2021.

Acontece que, por vezes, a conta não fecha – afinal, para uma porcentagem significativa da população, as despesas essenciais são maiores do que a renda.

Ainda assim, muita gente que admite ter condições de conseguir guardar pelo menos um pouco a cada mês tem dificuldade para se organizar. A ciência pode explicar o que ocorre e como reverter essa situação. Veja a seguir.

Por exemplo: pessoas que falam idiomas em que os verbos no presente e no futuro são diferentes – como o português – tendem a ter mais dificuldade para poupar, uma vez que presente e futuro parecem duas coisas totalmente separadas.

Em outras palavras, é difícil guardar dinheiro porque valorizamos o presente em detrimento do futuro. É aquela vozinha no fundo da cabeça dizendo.

“Por que guardar se você não sabe o que vai acontecer amanhã?”

Em outras palavras: para o nosso cérebro, nosso “eu” do futuro é uma pessoa que a gente não conhece muito bem – e, por isso, pode ser difícil conseguir nos importar ou planejar para o futuro desse “estranho”.

1- Pense no custo de oportunidade

Ao fazer uma compra, raramente pensamos no que estamos abrindo mão. Se uma pessoa compra um celular, por exemplo, está gastando um dinheiro que poderia ser investido numa viagem.

Por isso se pergunte: “do que estou abrindo mão para fazer essa compra?

2- Foque no valor que vai ser pago

Nossa mente é atraída pelo o que estamos economizando mas, na verdade, deveríamos focar no quanto estamos realmente gastando.

3- Veja dinheiro como…dinheiro

Quando se trata do salário,  é natural gastá-lo com contas da casa e outras despesas fixas que parecem mais sérias.Já quela quantia que entra de outras formas, como um presente ou um bônus, tende a ser gasta com coisas mais “divertidas”, fazendo com que o dinheiro acabe mais rápido.

Para fugir disso, veja dinheiro como dinheiro. Sempre. Não importa se é o salário, um bônus ou um valor dado de presente.

4- Guarde dinheiro automaticamente

Algumas contas, como a do Nubank, permitem determinar um valor que deve ser guardado todos os meses automaticamente. Assim, não dá nem tempo de gastar.

5- Coloque restrições ao seu dinheiro

Quando for comer fora de casa, por exemplo, uma opção é estipular uma quantia máxima que pode gastar. Para comprar algum produto, pesquise bem quanto ele vale e não se permita pagar mais.