Planos de saúde podem ficar 
até 9,63% 
mais caros

Planos de saúde podem ficar 
até 9,63% 
mais caros

A Agência Nacional de Saúde anunciou que este 
é o limite para o reajuste de planos individuais e familiares.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou um reajuste de até 9,63% nos planos de saúde individuais e familiares. Cerca de 8 milhões de pessoas devem ser afetadas pela mudança dos preços.

Todos os anos, a ANS autoriza esse reajuste. E esse percentual leva em conta, dentre outros fatores, a variação da inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), e também as despesas dos planos de saúde.

Por que os planos vão ficar mais caros?

A mudança de preço pode ser aplicada pela operadora do plano de saúde no mês da data de contratação.

Quando os reajustes serão aplicados?

Além disso, no caso dos contratos com aniversário em maio, junho e julho, será autorizada a cobrança retroativa relativa a esses meses.Isso porque a ANS definiu que o reajuste pode ser aplicado para as mensalidades cobradas a partir de 1º de maio.

Não. Esse reajuste vale apenas para os planos regulamentados pela agência e contratados a partir de 1999.

Todos os planos de saúde ficarão mais caros?

Não necessariamente. O que a ANS aprova é o limite máximo do reajuste. Ou seja, esses 9,63% é o teto – as operadoras dos planos de saúde só podem aumentar os valores dos planos até esse limite.

O meu plano vai ficar 9,63% mais caro?

A partir de agora, os clientes dos planos devem observar se o percentual aplicado no boleto é igual ou inferior ao definido pela ANS, e se o reajuste está sendo aplicado a partir do aniversário do contrato, que é quando ele foi firmado.

Atenção ao seu boleto