Principais gastos  do brasileiro na pandemia

23 de novembro de 2020

Pesquisa do Nubank evidencia mudança de hábitos de consumo

Um levantamento do Nubank, analisando o uso de meios de pagamentos digitais dos clientes no Brasil entre agosto de 2017 e agosto de 2020, aponta novo padrão de comportamento.

Como já era esperado por causa da pandemia, a participação nas compras online no cartão de crédito com viagens e itens de lazer caiu: foram 13.4 pontos percentuais a menos entre abril de 2020 e o mesmo período do ano anterior.

Na comparação com abril de 2019, também houve queda de 7.9 pontos percentuais na participação dos gastos online com aplicativos de transporte.

Por outro lado, houve um aumento na participação de outras categorias: - 9.4 pontos percentuais nas compras online em serviços de streaming; - 4 pontos percentuais em produtos eletrônicos; - 3.1 pontos percentuais em delivery de restaurantes; - 1.3 pontos percentuais em itens de vestuário.

Também é interessante observar o aumento de mais de 10 pontos percentuais na participação total dos gastos presenciais com cartão de crédito em supermercados nos três primeiros meses de quarentena no país. Nos meses de março, abril e maio de 2020, a participação das compras presenciais em supermercado representou 29,9% do total dos gastos presenciais com cartão de crédito – versus 18,8% em 2019.

Uma hipótese para este comportamento é a necessidade das pessoas circularem, pelo menos um pouco, ao ir no supermercado, além da demanda imediata por alimentos e medicamentos – sobretudo no início da pandemia, quando os prazos de envio podiam ser maiores, e também pela restrição logística para entregas em algumas regiões do país.

Quer saber mais sobre  o comportamento financeiro do brasileiro durante a pandemia?