O Ano Novo Chinês e a economia global

Não é astrologia: Entenda por que o maior feriado da China impacta das bolsas de valores às entregas das suas compras online.

14 de fevereiro de 2021         

O Ano Novo Chinês é também chamado de Festival da Primavera ou Ano Novo Lunar. Trata-se de um feriado oficial de 10 dias na China, com celebrações que duram cerca de três semanas.

A data é comemorada seguindo o calendário lunar, um ciclo de 12 meses baseado nas fases da Lua, e não em datas fixas (como o calendário gregoriano, que acaba em 31 de dezembro todos os anos).

Ou seja, o Ano Novo Chinês não é fixo e varia normalmente entre 21 de janeiro e 20 de fevereiro.Em 2021, o Ano Novo Chinês é 14 de fevereiro.

Um fato que costuma chamar atenção é que os anos do calendário lunar na China recebem o nome de animais: 2020 foi o ano do Rato. 2021, o ano do Boi. 2022 será o ano do Tigre.

Mas por que o Ano Novo chinês é tão importante para a economia?

1. Tamanho e relevância

A China é hoje a segunda maior economia do mundo (atrás dos Estados Unidos) e o maior exportador mundial. De lá, saem insumos que abastecem praticamente todas as  economias.

O Festival da Primavera é a celebração mais importante das famílias chinesas. Ao todo, mais de 1,5 bilhão de pessoas no mundo comemoram a data.

2. Viagens e deslocamentos

Especialistas estimam que mais de 2 bilhões de viagens (ida e volta) sejam feitas dentro e fora da China todos os anos por causa do feriado. O fenômeno tem até nome: Chunyun.

Vale ressaltar que quase 20% da população mundial celebra o Festival da Primavera. Em 2021, por conta da pandemia, o deslocamento deve diminuir no Ano Novo.

3. Produção

Para permitir que tantas famílias se reúnam, as fábricas chinesas fecham ou reduzem as jornadas por até três semanas.

Como a China é o maior exportador mundial, a pausa impacta tudo o que sai do país: dos produtos adquiridos no e-commerce a grandes encomendas de multinacionais.

4. Bolsas de Valores

A China continental para por pelo menos uma semana, mas locais como Hong Kong, Singapura e Coreia do Sul também observam pelo menos alguns dias do feriado.

Com isso, algumas das maiores bolsas de valores do mundo desaceleram. Vale lembrar: a Bolsa de Shangai é a quarta maior bolsa do mundo, a de Hong Kong é a quinta maior e a Bolsa de Shenzhen, também na China, a sétima maior.