Inflação volta a subir em outubro: veja o que aconteceu e o que ficou mais caro no mês

Inflação volta a subir em outubro: veja o que aconteceu e o que ficou mais caro no mês

Depois de três meses com deflação, país vê preços subirem de novo. Entenda.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial da inflação, voltou a subir em outubro, depois de três meses de deflação. Os preços no país subiram 0,59% no mês. Em 2022, até agora, os produtos ficaram 4,7% mais caros. Nos últimos 12 meses, os preços subiram 6,47%, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Inflação é o aumento do preço de bens e serviços. Desde 2020, além dos alimentos, os combustíveis estavam pesando muito no bolso dos brasileiros.

O que aconteceu
em outubro?

É que o preço do petróleo no mercado internacional estava subindo e, com isso, a Petrobras fez constantes reajustes que afetaram os valores que você paga nos postos.

Contudo, desde julho de 2022, os preços do petróleo voltaram a cair e a Petrobras realizou quatro reduções nos valores do litro da gasolina e três nos preços do diesel.

Esses reajustes foram repassados e a queda nos preços dos combustíveis gerou um efeito dominó na inflação. Em julho, primeiro mês do ano de inflação negativa, a gasolina, individualmente, contribuiu com a queda no preço de 377 itens que compõem o IPCA.

Efeito da queda do combustível passou

Mas, como nada dura para sempre, o efeito da queda dos combustíveis passou e não conseguiu segurar o aumento dos preços dos outros produtos e serviços monitorados pelo IBGE.

Uma inflação maior corrói o valor do dinheiro. Ou seja, o que você comprava ontem com R$ 100 já não consegue comprar hoje.

Como a inflação afeta o seu bolso?

Além disso, a inflação afeta o custo de muitos produtos financeiros que você conhece bem, como seu cartão de crédito. Ou seja, tudo fica mais caro.

Os produtos e serviços dos setores de Alimentos, Saúde e Transportes foram os que mais influenciaram a inflação em outubro.Dos 9 setores analisados pelo IBGE, 8 tiveram alta. Veja, ao lado, o que ficou mais caro e mais barato.

O que ficou mais barato e mais caro em outubro?

Ficou mais barato: 
Melão: – 13,29%
Leite longa-vida: – 6,32%
Brócolis: – 4,63%
Melancia: – 4,56%
Repolho: – 4,49%

Ficou mais caro: 
Pepino: 27,54%
Passagem aérea: 27,38%
Batata-inglesa: 23,36%
Limão: 20,60%
Banana: 19,15%