Inflação fica em alta pelo quarto mês seguido: saiba o que ficou mais caro

Inflação fica em alta pelo quarto mês seguido: saiba o que ficou mais caro

Inflação de janeiro ficou em 0,53%, segundo o IBGE. Entenda como ela afeta o seu dinheiro e quais alimentos sofrem alteração de preços.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial da inflação do país, fechou janeiro com uma alta de 0,53%, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O indicador foi puxado pela alta nos preços de alimentos. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação atingiu um patamar alto de 5,77%.

A inflação representa o aumento ou a queda dos preços de bens e serviços. Isso significa que, 
quanto maior ela é, menor é o poder de compra 
das pessoas.

Afinal, o que isso significa?

Isso geralmente acontece porque o valor do salário não necessariamente acompanha essa flutuação de preço. Ou seja: o que você comprava ontem com R$ 50, já não consegue comprar hoje.

A inflação também afeta o custo de alguns serviços e produtos financeiros que você conhece bem, 
como os juros do seu cartão de crédito.

Os setores de “Alimentação e bebidas” e “Transporte” foram os que mais tiveram alta em janeiro de 2023. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, apenas Vestuário apresentou variação negativa (-0,27%).

Quais setores 
mais subiram 
em janeiro?

Veja os 10 produtos que mais subiram:Abobrinha: 44,05%
Cenoura: 17,55 %
Morango: 16,46%
Tangerina: 15,51%
Batata-inglesa: 14,14%
Couve-flor: 13,83%
Peixe-filhote: 12,31%
Açaí: 12,29%
Tv por assinatura: 11,78%
Peixe-tainha: 11,25%

O que ficou 
mais caro?

Sim! Veja os 5 itens que ficaram mais baratos em janeiro de 2023, segundo o IPCA: Limão: -36,45%
Cebola: -22,68%
Transporte por app: -17,03%
Pepino: -5,88%
Perfume: -5,86%

Algum preço caiu?