2 de fevereiro de 2021

Como será o Open Banking no Brasil?

A implementação do sistema deve acontecer até dezembro. Entenda melhor o que é o open banking.

O Open Banking começou a ser implementado pelo Banco Central no dia 1 de fevereiro. Na primeira fase - que vai até julho - serão abertos ao público dados das instituições financeiras, como características, preços de produtos e serviços bancários relacionados a contas, cartão de crédito e operações de crédito para pessoas físicas e jurídicas. 

Mas o que é o Open Banking? Como funciona? E por que impacta a sua vida?

A seguir, você confere, de forma simples, as respostas para essas perguntas.

O que é o Open Banking?

Na tradução literal, open banking significa “banco aberto”, ou “sistema bancário aberto”. Mas o que isso quer dizer, na prática?

Imagine todo o histórico de crédito construído ao longo do tempo com um banco ou instituição financeira – as contas pagas em dia, os salários depositados, as prestações, empréstimos, perfil de gastos…

Com o Open Banking, o cliente consegue pegar todas essas informações e levá-las para onde quiser, sem ter que começar um relacionamento do zero com uma nova instituição.

Hoje em dia, se você muda de banco, por exemplo, essas informações não são compartilhadas com a instituição nova.

"E por que o Open Banking é bom pra mim?"

Ele oferece mais liberdade e autonomia para os clientes. Quanto maior o tempo de relacionamento com uma instituição, mais informações ela tem a respeito do cliente. Ao migrar, pelo menos parte dessas informações se perde. Com o Open Banking, o cliente não fica preso a esse sistema.

Como vai funcionar o Open Banking no Brasil?

Fase 1

A primeira fase teve início no dia 1ª de fevereiro. Nela, são abertos os dados das instituições participantes, seus canais de atendimento e os produtos e serviços que oferecem – como contas de depósito à vista, poupança, pagamento e operações de crédito. Essa 1ª fase não envolve o compartilhamento de dados de clientes. 

Na segunda fase, que começa no dia 15/07, o cliente poderá compartilhar seus dados pessoais de cadastro, como nome completo, CPF/CNPJ, telefone, endereço e dados de transações relativas aos produtos e serviços relacionados à conta.  Tudo isso acontece somente com a autorização da pessoa.

Fase 2

Na terceira fase, com início em 30/08, vai ser possível iniciar um pagamento fora do ambiente do banco. Os clientes poderão compartilhar o histórico de informações financeiras e terão acesso a serviços como pagamentos e propostas de crédito por um aplicativo de mensagem, por exemplo.

Fase 3

Fase 4

Na última fase, que terá início em 15/12, será possível o compartilhamento de outros dados de produtos e serviços. Como informações relacionadas a operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência.