A cesta básica subiu de novo.  O que ficou mais caro?

A cesta básica está mais cara em todas as capitais, chegando a R$ 715 em São Paulo. Veja os alimentos que tiveram as maiores altas em fevereiro.

1. Feijão

Um dos principais alimentos da mesa dos brasileiros, o feijão teve a maior alta no último mês.

O feijão carioquinha subiu entre 1,81% e 10,14%. Já as taxas de alta do feijão preto ficaram entre 1,20% e 7,25%.

2. Café em pó

Más notícias pra quem gosta de tomar aquele cafezinho: o pó de café subiu em 16 capitais e chegou a aumentar 7,77% em Goiânia.

A exceção foi São Paulo, onde houve queda de 3,86% no preço.

3. Óleo de soja

O preço do óleo de soja subiu em 15 capitais, tendo sua maior alta em Curitiba, com uma variação de 2,98%.

4. Batata

As chuvas reduziram a oferta de batata e fizeram o preço do tubérculo disparar. Em Campo Grande, o preço da batata teve uma alta de 48,40%.

5. Manteiga

O pão com manteiga também deve ficar mais caro: as altas mais expressivas do quilo da manteiga foram em: - Curitiba (3,50%); - João Pessoa (3,26%); - Rio de Janeiro (3,04%).

6. Carne bovina

Com a demanda internacional ainda alta, a carne bovina ficou mais cara em 14 capitais.

Para quem mora em Aracaju, a elevação no preço chegou a 4,75%.

Uma pessoa que recebe um salário mínimo precisa trabalhar mais de 114 horas pra conseguir comprar os itens da cesta básica.

Considerando jornadas de 8 horas, isso significa que uma pessoa precisa trabalhar 14 dias no mês só pra comprar alimentos.

A cesta básica mais cara em fevereiro foi a de São Paulo (R$ 715,65), seguida por: - Florianópolis (R$ 707,56); - Rio de Janeiro (R$ 697,37); - Porto Alegre (R$ 695,91); - Vitória (R$ 682,54).

Quer saber mais sobre o aumento dos preços?

👆🏼