5 dicas pra comprar itens usados com segurança

2 de novembro de 2021

Entre 2020 e 2021, 33% dos consumidores brasileiros adquiriram algum produto usado. Mas é preciso reforçar os cuidados na hora de fazer esse tipo de compra.

Comprar um produto usado não quer dizer que você vai ter que abrir mão da garantia.

1. Fique atento às garantias

Segundo o artigo 26 do Código de Defesa do Consumidor, produtos usados também precisam ter garantia legal de 90 dias quando a compra é feita diretamente de um lojista.

Se você for comprar um item seminovo de uma pessoa física, por outro lado, privilegie produtos que ainda estejam no período de garantia e que tenham a documentação necessária, como nota fiscal.

Antes de comprar, verifique todas as características da compra: documento, existência de garantia, contrato, funcionamento adequado…

2. Confira as condições antes da compra

Normalmente, fazer perguntas e entender em detalhes as condições do produto (se já apresentou alguma falha, se tem reparos, estado da bateria, etc.) pode evitar que você tenha problemas futuros.

Em compras mais caras, como carros, vale levar até seu mecânico de confiança para uma avaliação profissional.

Se você for comprar direto de uma loja, verifique as avaliações de outros compradores. O mesmo serve para lojas virtuais em marketplaces, por exemplo.

3. Observe as avaliações do vendedor ou outras publicações

Essas plataformas costumam deixar claro o histórico do vendedor e a opinião de quem já comprou com ele. Se o anúncio for de uma pessoa física, observe se essa pessoa já vendeu antes nas redes sociais e leia os comentários.

Muitos golpes de venda de produtos usados, como carros e outros itens de maior valor, envolvem algum tipo de pagamento antecipado.

4. Pague somente depois que receber o produto

Por isso, só pague antes caso a compra seja feita em um site especializado que se responsabiliza por eventuais problemas na entrega dos produtos. 

Em outros casos, só faça o pagamento na hora em que receber o produto – ou quando for buscá-lo. Se houver a possibilidade de escolher entre pagar direto para o vendedor ou para uma plataforma conhecida, prefira sempre a plataforma. 

Qualquer que seja a compra, você sempre precisa de uma nota fiscal para usar a garantia ou comprovar a posse do produto. Mesmo que você compre de uma pessoa física e não de um lojista, peça a nota fiscal e o documento de garantia de fábrica.

5. Exija nota fiscal

Entenda como funciona o golpe da venda de carros baratos – e como se proteger

👆🏼