Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Dicionário Financeiro Por que o dólar sobe e ...

Por que o dólar sobe e desce?

Entenda o que causa a oscilação do dólar e como ela afeta a economia.

Talvez você saiba que o dólar está sempre oscilando, mas entende exatamente o porquê – ou por que isso importa para nós, no Brasil?

Para além do efeito mais imediato no bolso do brasileiro (o aumento de custo em viagens ao exterior), a cotação do dólar é um reflexo de vários fatores na economia.

A seguir, veja o que faz o dólar subir ou cair e como isso afeta a vida das pessoas.

Dólar comercial ou turismo?

Começando do início: existem dois tipos de dólar, o comercial e o turismo. Explicamos em detalhes a diferença entre eles aqui, mas, em linhas gerais…

Dólar turismo 

É o que pode ser comprado por pessoas físicas – por exemplo, na hora de trocar dinheiro vivo para viajar. Na prática, ele costuma ser mais caro porque, entre outras coisas, o volume de cada transação é relativamente pequeno.

Dólar comercial

É aquele negociado por empresas ou instituições financeiras. Ele costuma ser mais barato justamente pelo volume das transações: como empresas ou instituições movimentam grandes quantias, o preço do dólar fica menor.

Ao ler o noticiário econômico, o mais comum é que as reportagens estejam falando sobre o dólar comercial, já que é o valor dele que impacta a economia.

Como funciona a oscilação do dólar?

O dólar comercial é usado em transações comerciais (do governo e dos bancos), para compra e venda de mercadorias, investimentos, importações e exportações. A explicação mais simples para sua variação – diária e ao longo do dia – é justamente a oferta e demanda do mercado.

Ou seja: quando sobra dólar no mercado, a cotação fica mais baixa. Quando tem mais gente comprando dólar, a cotação sobe.

Por que o dólar sobe?

Basicamente, há três fatores principais que causam essa oscilação:

  • Déficit da balança comercial: quando o Brasil importa mais do que exporta, a oferta de dólares diminui, o que puxa pra cima a cotação da moeda.
  • Gastos no exterior: um número elevado de turistas brasileiros fora do país gera uma demanda maior por dólares que serão gastos fora do Brasil.
  • Juros dos Estados Unidos: quando os juros americanos sobem, a tendência é que investidores no Brasil levem seu dinheiro para fora, já que os rendimentos lá ficam mais altos.

Por que o dólar cai?

Os mesmos fatores que causam a alta da moeda americana, se aplicados ao contrário, explicam a queda em relação ao real:

  • Superávit comercial: quando empresas brasileiras vendem mais produtos no exterior, entram mais dólares no país, aumentando a oferta.
  • Gastos de estrangeiros: a entrada de turistas estrangeiros no Brasil também traz mais da moeda para o país.
  • Juros do Brasil: quando os juros brasileiros sobem, vale a pena para investidores trazerem seu dinheiro, já que os rendimentos aqui ficam mais altos.

Dólar alto: o que isso significa?

A economia é dinâmica e, portanto, há uma série de fatores além dos citados acima que podem influenciar a moeda para cima ou para baixo.

Se o mercado tem a percepção de que um país está em uma situação política turbulenta, por exemplo, os investidores tendem a tirar seu dinheiro de lá. Se o governo demonstra que a economia está se fortificando, por outro lado, entra mais moeda no país. Até mesmo acontecimentos em outros países, sem nenhuma relação aparente no Brasil, podem influenciar a cotação.

Quais os efeitos da variação do dólar?

De imediato, a oscilação do dólar impacta principalmente quem vai viajar, já que ele baliza os preços das passagens, a cotação das casas de câmbio e os gastos no exterior.

A médio e longo prazo, a variação do dólar também pode afetar o dia a dia do consumidor, já que impacta os custos das empresas – indústrias que importam itens, por exemplo, podem repassar essa variação ao produto final, o que, por sua vez, mexe na inflação e no bolso do consumidor.

O dólar também influencia as exportações do Brasil – quando a moeda americana está mais valorizada, os produtos brasileiros tendem a ficar mais competitivos no exterior.

O importante é lembrar que, na economia, o cenário vantajoso muda de acordo com as circunstâncias e objetivos do país a cada determinado momento.

Afinal, por que ligamos tanto para o dólar?

Se a nossa moeda é o real, por que o dólar importa tanto para a economia brasileira – e do resto do mundo?

Acontece que o dólar é a referência monetária mundial. Esse papel, que costumava ser ocupado pela libra esterlina, do Reino Unido, tem a ver com a força da economia dos Estados Unidos – não necessariamente com o seu tamanho ou com suas dívidas, mas com seu poder de influência sobre os demais países.

Os Estados Unidos ganharam fôlego no cenário econômico ao longo do século 20, com o crescimento de sua participação no comércio exterior e o fortalecimento de sua economia após as guerras mundiais na Europa.

Hoje, isso se reflete no fato de que, por mais que o país passe por crises econômicas, o dólar continua contando com a confiança internacional. Assim, os bancos e governos:

  • Possuem reservas em dólares;
  • Emprestam dinheiro em dólares;
  • Realizam todo tipo de transação comercial em dólares.

É por isso que ele estampa as manchetes de noticiários de todo o mundo: o que acontece com o dólar afeta todas as moedas.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.