Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Outros Perfil mais afetado pela...

Perfil mais afetado pela pandemia é o de mulheres negras de baixa escolaridade, aponta Data Nubank

O estudo sobre empreendedorismo feminino do Nubank em parceria com o BID e SEBRAE mostra quem são as mulheres de negócio no Brasil



Perfil mais afetado pela pandemia é o de mulheres negras de baixa escolaridade, aponta Data Nubank

No Brasil, cerca de um terço das empresas são lideradas por mulheres, segundo dados do SEBRAE. Entre essas empreendedoras, há uma infinidade de serviços e produtos oferecidos, histórias e casos para contar. 

Mas é possível, sim, estabelecer um perfil para elas, e entender quais mulheres foram as mais afetadas pela pandemia da Covid-19. A mulher que fechou seu negócio é negra, sem instrução formal, tem até 34 anos e não possui um CNPJ também, ou seja, trabalha na informalidade, segundo os dados do SEBRAE utilizados no estudo. 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

É o que mostra a 5a edição do Data Nubank, um estudo do Nubank em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o SEBRAE sobre o empreendedorismo feminino na pandemia.

Conheça, abaixo, um pouco mais sobre as empreendedoras brasileiras na pandemia.

As mulheres e o impacto da Covid

As mulheres foram, segundo o estudo aponta, as mais impactadas pela pandemia. Mas, mesmo entre elas, há grupos mais afetados.

No pior momento da crise, entre o último trimestre de 2019 e o segundo trimestre de 2020, enquanto diminuiu em 15% o número total de empresas lideradas por mulheres, entre as que não têm instrução a redução foi de 32%. Entre as empresas chefiadas por mulheres com nível superior, em comparação, a queda foi de apenas 3%. 

Quanto à idade, o número de empresas lideradas por mulheres de até 34 anos caiu 21%, enquanto os negócios que as donas tinham 55 anos ou mais diminuíram 7%. 

Isso acontece, provavelmente, pela falta de estrutura e suporte que esse perfil de mulheres têm na hora de exercer sua profissão como empreendedoras. Com o fechamento de creches e a restrição de circulação, uma hipótese é a de que tenha recaído sobre as mulheres o aumento do tempo dedicado ao cuidado de crianças, idosos e familiares com problemas de saúde.

Há, ainda, outros fatores que impactaram os negócios femininos durante a pandemia. Para conhecer mais a fundo o cenário e as consequências disso, acesse o estudo completo do Data Nubank

Leia mais:

Desemprego, desocupação e desalento: um retrato da espera por dias melhores no Brasil de 2021

Mulheres com mais de 60 anos investem cada vez mais

Não consegue contratar mulheres? Talvez você não esteja procurando direito

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – físicas e jurídicas. Com a conta PJ, queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais.

3.67

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post