Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início O Nubank Da TI ao marketing, a hi...

Da TI ao marketing, a história do Nubanker Matheus Silva

Aos 24 anos, Matheus foi menor aprendiz, cursou graduação na área de tecnologia, migrou para estudar marketing e hoje é parte do time do Nu. Sua história é parte da série "A gente muda o sistema".



Imagem de um homem jovem, fotografado de baixo para cima e olhando para a câmera. Ele está com uma camiseta branca e uma camisa de manga curta bege por cima, e usa um chapéu

Matheus Silva, de 24 anos, nasceu em São Bernardo do Campo, São Paulo, filho de migrantes da Bahia. Antes de se juntar à equipe de experiência do cliente do Nubank, ele fez duas graduações – em TI e marketing – e encontrou na combinação das duas a sua paixão. 

Matheus é um dos personagens da série “A gente muda o sistema”, projeto criado pelo Nubank.

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Veja o vídeo e leia mais sobre a história de Matheus abaixo.

Filho de uma cozinheira e de um metalúrgico, Matheus considera a família algo que vai além dos laços de sangue: mas laços de amor e confiança construídos com outras pessoas.

Seus pais são migrantes da Bahia e se mudaram para São Bernardo do Campo em busca de uma vida melhor. Longe dos parentes, foi nos vizinhos de uma vida inteira que Matheus encontrou “primos” e “primas” e o aconchego familiar.

“Eu moro no mesmo lugar desde que nasci. As pessoas com quem eu cresci à minha volta se tornaram a minha família e eu confio neles de corpo e alma”, diz.

A paixão pelo esporte

Matheus sempre foi uma criança apaixonada por esportes. Na escola, seus melhores momentos eram os treinos e, principalmente, os campeonatos. 

“Treinei futebol por muitos anos. Fazia tudo o que era necessário para continuar praticando. Nunca fui um aluno acima da média, mas nunca dei problema por nota e comportamento para seguir competindo”. 

O futebol era mais do que diversão: era coisa séria. “Representar a escola com o esporte ajudou a moldar o meu caráter”, diz.

A vida adulta chegou cedo

Matheus sempre teve o apoio dos pais para seguir a carreira que quisesse, desde que estudasse. Além da escola, estudou inglês e conciliava os treinos com um curso de informática, que abriram uma primeira porta: ser menor aprendiz em uma grande faculdade de São Paulo.

“Aos 15 anos eu já trabalhava e estudava. Assim que terminei a escola, com o incentivo dos meus líderes, optei por começar uma graduação na área de TI”, diz. Assim que terminou a graduação, Matheus fez uma pós em big data e, em seguida, decidiu emendar uma nova graduação: marketing. 

Uma nova carreira e a realização profissional

“Decidi fazer todas as etapas: começar uma graduação, fazer estágio, me ver na área e aí sim decidir se é o que eu queria fazer e então saí dessa empresa de TI. Fui pra outra graduação, fiz estágio e hoje sim me sinto realizado”, diz.

Matheus hoje trabalha como analista de experiência do cliente no Nu.

“Na minha cabeça o Nubank estava a anos luz de distância de mim. Essa migração de carreira mudou toda a minha vida e a forma como eu enxergo as coisas. Talvez eu só esteja no Nu hoje por causa disso e não me arrependo nem um pouco”, diz.

Próximos passos: reforma e responsabilidade

Com apenas 24 anos, Matheus considera estar em uma grande fase. Seus pais, já aposentados, estão mudando de volta para a Bahia, e ele permanecerá em São Bernardo. Agora, está reformando a casa da família para morar sozinho – ou nem tanto, já que o objetivo é se preparar para casar com a namorada com quem está junto há quatro anos.

“Estou vivendo uma realização profissional e pessoal agora, mas quero construir uma carreira sólida. Aqui no Nubank, quero que as pessoas se lembrem de mim por muito tempo”, conta.

“A minha mãe sempre fala: tenho um orgulho enorme de você. E a cada vez que eu escuto essas palavras eu quero trabalhar pra mostrar que faz sentido que ela tenha, sim, orgulho de mim”.

Conheça outras histórias como a de Matheus que fazem parte do projeto “A gente muda o sistema”:

Trançando cabelos e vidas: a história da empreendedora Rafaela Xavier

“Não dá pra mudar o mercado sem ações concretas de diversidade e inclusão”

De recepcionista a CEO de uma startup: a trajetória de Tatiana Santarelli

“A gente muda o sistema”: histórias de orgulho e pertencimento

4

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post