Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças IPVA 2020: veja tudo o q...

IPVA 2020: veja tudo o que você precisa saber

Este momento chegou: começa o pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Saiba como fazer!

Para quem tem carro, a conta chega com data marcada: janeiro. É o mês em que o IPVA, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, começa a ser cobrado em todos os estados brasileiros.

Mas, apesar de ser uma daquelas contas que a gente sabe que vai ter no começo do ano, pagá-la ainda é um sofrimento – não só pelo dinheiro, mas também porque pode ser complicado entender como fazer isso.

Abaixo, veja tudo o que você precisa saber sobre o IPVA 2020 e se vale a pena pagar tudo em janeiro com desconto.

Primeiro, o que é IPVA?

IPVA é a sigla para Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores e incide sobre carros, motos, caminhões e outros veículos terrestres motorizados.

Este é um imposto estadual, o que significa que cada estado é responsável por recolher o imposto e estabelecer as regras de pagamento – incluindo data de vencimento, descontos e outras diretrizes.

Apesar do estado fazer o recolhimento do IPVA, ele repassa metade do valor arrecadado com o imposto para o município em que o veículo foi emplacado. 

Se engana, entretanto, quem pensa que esse dinheiro deve ser destinado apenas às áreas ligadas ao transporte terrestre, como manutenção de estradas e recuperação de asfalto. Este imposto é uma fonte de arrecadação para diversas áreas, incluindo saúde, educação e segurança. 

Devem pagar o IPVA os donos de veículos terrestres motorizados – como carros, motos e caminhões –, sendo o imposto aplicado sobre cada veículo – quem tem dois carros, por exemplo, paga dois IPVAs diferentes.

Entretanto, existem algumas exceções que isentam o pagamento desse imposto. Veja abaixo. 

Quem está isento de pagar IPVA?

  • Veículos ligados a entidades governamentais, como órgãos públicos, partidos políticos, sindicatos de trabalhadores e templos religiosos de qualquer culto;
  • Quando é comprovada a perda da posse do veículo, como em furto ou roubo, perda ou desaparecimento;
  • Quem comprova que o veículo é usado para determinados transportes, como taxi e mototáxi, entidades e pessoas com direito a tratamento diplomático ou ônibus e micro-ônibus utilizado em fretamento ou transporte escolar.

Além disso, alguns estados isentam veículos antigos do pagamento do IPVA. Essa regra varia de acordo com o estado, por isso é importante verificar com a Secretaria da Fazenda local. Em São Paulo, por exemplo, veículos com mais de 20 anos de fabricação não precisam pagar o imposto.

Pessoas com algum tipo de deficiência – como visual, física ou mental – ou com determinadas doenças – como HIV – que são proprietárias de veículo terrestre motorizado também podem ser isentas do IPVA. Neste caso, também é importante verificar as regras de cada estado.

Quando eu preciso pagar o IPVA?

De forma geral, o pagamento do IPVA começa no início do ano. As datas de vencimento das parcelas, entretanto, variam de acordo com o estado.

Além disso, o pagamento pode ser feito de uma única vez – nestes casos, é comum os estados oferecerem descontos – ou parcelado.

Em São Paulo, por exemplo, veículos com placa de final 1 devem pagar a primeira parcela ou fazer o pagamento total com desconto até o dia 9 de janeiro (quinta-feira).

Quem atrasar o pagamento deverá pagar multa por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Além disso, quitar o IPVA é obrigatório para fazer o licenciamento do veículo. Por isso, programe-se e coloque na agenda para não perder os prazos.

Para saber como será o pagamento em seu estado, verifique com a Secretaria da Fazenda da sua região. Estados como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná disponibilizam essas informações na internet.

Lembrando que, nesta época do ano, também existe o pagamento do DPVAT, o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres. Falamos sobre ele neste outro post

Como pagar o IPVA?

Da mesma forma que os prazos variam de acordo com cada estado, assim também é para a forma de pagamento.

Em muitos estados, o dono do veículo recebe em casa o boleto do IPVA. Então, basta pagá-lo em uma casa lotérica ou na instituição financeira que preferir.

Já em outros, como São Paulo, o proprietário do veículo não recebe mais o boleto em casa.

Neste caso, é preciso ir até uma agência bancária autorizada ou casa lotérica com o número do Renavam (localizado no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos, o famoso documento) em mãos.

Também é possível fazer isso pelo internet banking ou app de algumas instituições financeiras.

Vale a pena pagar tudo em janeiro com desconto?

Depende.

Se você já tem uma reserva de emergência e o dinheiro do IPVA não impactará seu orçamento, pode ser uma boa opção pagar tudo em janeiro com desconto.

Apesar de em alguns estados o percentual de redução não ser muito grande (em São Paulo, por exemplo, o desconto é de 3%), com a taxa Selic baixa, é difícil um investimento em renda fixa gerar um retorno maior do que 3% em poucos meses. Ou seja, vale a pena pagar à vista.

Agora, se você não tem uma reserva de emergência e o valor do IPVA vai consumir todo seu dinheiro, pode ser uma boa ideia parcelar.

Afinal, o valor do desconto não é tão alto e é bom você ter uma quantia nas mãos para eventuais imprevistos. 

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.