Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças IOF zerado: entenda a me...

IOF zerado: entenda a medida que tirou o imposto do rotativo, empréstimo e cheque especial

Governo irá parar de cobrar IOF sobre operações de crédito por 90 dias. Veja como isso impacta clientes de cartão, cheque especial e empréstimo.

A partir do dia 3 de abril de 2020, a cobrança do IOF será zerada durante 3 meses para as operações de crédito no país. 

Em outras palavras: nesse tempo, a cobrança do imposto não será feita em casos de empréstimo, financiamento, uso do cheque especial ou crédito rotativo.

A medida, anunciada pelo governo no dia 1o de abril é uma das muitas ações que tentam reduzir o impacto do coronavírus na vida financeira dos brasileiros.

No dia 2 de julho, o IOF zerado foi prorrogado por mais 90 dias, até 2 de outubro. A medida foi publicada no Diário Oficial da União.

Entenda, em detalhes, o que mudou.

O que é mesmo IOF?

O IOF é um imposto federal pago por pessoas físicas e jurídicas em qualquer operação financeira, como operações de crédito, câmbio, seguro ou operações de títulos e valores mobiliários.

Além de ser uma fonte de arrecadação do Governo, o IOF também é usado como uma forma de controlar a economia do país. Leia mais aqui

O que muda com o IOF Zerado?

IOF zerado no cartão de crédito e cheque especial

Normalmente, quando um cliente não efetua o pagamento da fatura até a data de vencimento, o IOF é cobrado de acordo com os dias em atraso. Em casos de valor em aberto, a cobrança é em cima do crédito rotativo.

Com a medida, faturas que entraram em atraso a partir do dia 3 de abril terão IOF zerado. Ou seja, o cliente não vai pagar este imposto. Isso também vale para pagamentos parciais da fatura (entre o mínimo e o total), a contratação de parcelamentos, o não pagamento ou pagamento menor que mínimo até o vencimento e os saques no Brasil com seu cartão de crédito. 

A partir de 3 de abril, o IOF também não será cobrado no uso de cheque especial.  

Entenda tudo sobre crédito rotativo

Saiba o que é cheque especial e por que você deve fugir dele

IOF zerado no Empréstimo

Como funciona normalmente: o IOF é cobrado em toda operação de empréstimo. Caso o cliente atrase o pagamento das parcelas, o imposto também é cobrado sobre este atraso, levando em consideração o período em que a dívida não foi paga. E, caso o cliente em atraso negocie o contrato, o IOF é cobrado conforme o prazo de negociação.

Com a nova medida do governo, o IOF para a contratação de empréstimos a partir de 3 de abril fica zerado. Se o cliente for negociar o contrato nesse período, também não pagará IOF adicional. 

E se meu empréstimo contratado depois de 3 de abril termina depois de julho? Como fica o IOF?

Não precisa se preocupar, Quem contratar um empréstimo entre 3 de abril e 3 de julho estará isento do IOF até a parcela final. Por exemplo, caso você contrate um empréstimo de 12 parcelas, o IOF não será cobrado durante todo esse período referente ao contrato.

O que fica igual?

IOF para compras internacionais – nada muda

Continua sendo cobrado 6,38% de IOF sobre o valor de compras feitas no exterior com cartão de crédito ou pré-pago (aquele que você carrega com um valor estabelecido antes de viajar), e também para compras feitas no Brasil em sites estrangeiros (com moeda estrangeira).

IOF sobre investimentos e rendimentos – nada muda

O imposto cobrado sobre certos tipos de rendimento segue da mesma maneira: ele varia de acordo com o tempo entre a aplicação e o resgate, indo de zero a 96% dos rendimentos. No caso da Conta do Nubank, os rendimentos seguem com a cobrança de IOF. (veja mais como funciona a cobrança de IR e IOF aqui).

Antecipação da volta do IOF

Inicialmente, a medida valeria por 90 dias, mas uma série de prorrogações estenderam sua validade até dezembro. Porém, a volta do IOF em operações de crédito foi antecipada para 27 de novembro. O motivo foi financiar a isenção da tarifa de energia do Amapá. 

O estado foi atingido por um apagão de 22 dias e os moradores dos municípios afetados terão isenção da conta de luz dos últimos 30 dias.

Em um decreto publicado na noite de 25 de novembro de 2020, no Diário Oficial da União confirmou a retomada do IOF nas operações de crédito para custear os R$80 milhões necessários para isentar os moradores da cobrança.

Como ficam os empréstimos?

Quem contratou um empréstimo enquanto o IOF estava zerado terá a alíquota zerada até a parcela final. Por exemplo, caso você tenha contratado um empréstimo de 12 parcelas no dia 20 de novembro de 2020, o IOF não será cobrado durante todo esse período referente ao contrato.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.41

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post