Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças O que você precisa sabe...

O que você precisa saber para investir em dólar?

Ele é um tipo de investimento em renda variável considerado seguro, porém não recomendado para todos. Veja como funciona investir em dólar e o que é preciso levar em conta.

Se você está começando a estudar sobre investimentos e possibilidades para alocar seu dinheiro, em algum momento pode esbarrar com o dólar. A moeda americana tem um papel tão importante na economia mundial que ocupa a carteira de muitos investidores. Mas, antes de investir em dólar, é importante entender como isso funciona e quais as opções.

Pra começar, por que o dólar é tão importante para a economia mundial?

O dólar norte-americano é a referência monetária mundial. Esse papel, que costumava ser ocupado pela libra esterlina, do Reino Unido, tem a ver com a força da economia por trás da moeda e de seu poder de influência sobre os demais países – no caso do dólar, os Estados Unidos.

Ao longo do século 20, a economia norte-americana foi ganhando espaço com o crescimento de sua participação no comércio exterior e o seu fortalecimento após as guerras mundiais na Europa – principalmente depois da segunda guerra. Hoje, ela é a maior economia global. 

Isso se reflete no fato de que, por mais que o país passe por crises econômicas – como em 2008 ou 2020 –, o dólar continua contando com a confiança internacional. O Brasil, por exemplo, terminou 2019 com uma reserva em dólar de US$ 356,9 bilhões.

Além disso, muitas commodities (bens ou produtos comercializados em todo o mundo e que têm valor estratégico, como o petróleo, soja, entre outros) e o próprio ouro são negociadas em dólar.

Por causa desses e de outros fatores, muitos investidores recorrem ao dólar como um ativo seguro – seja para proteger o próprio dinheiro de grandes variações ou ganhar com a especulação da moeda.

E o que você precisa saber para investir em dólar?

Primeiro, é importante dizer que investir em dólar significa investir em renda variável. Ou seja, não existe garantia de que você vai ter retorno com isso – ao contrário da renda fixa.

Por exemplo: você pode comprar a moeda por um preço e, com o tempo, ela perder valor – causando prejuízo ao seu bolso. 

Outro fator importante é que, no Brasil, o valor do dólar varia tanto de acordo com o cenário econômico global quanto com o do próprio país. Isso significa que, mesmo que o dólar esteja desvalorizado lá fora por algum motivo, ele pode estar valorizado em relação ao real – e vice-versa.

Ainda assim, em um cenário de estabilidade, o dólar tende a apresentar uma variação pequena ao longo do tempo. Justamente por isso, alguns investidores recorrem ao dólar como uma proteção ao próprio dinheiro – mesmo que a bolsa de valores caia, por exemplo, ou o real desvalorize, parte da renda estará segura com o dólar. 

Por outro lado, também é possível ganhar com a especulação da moeda norte-americana. Em 2 de janeiro de 2020, por exemplo, o dólar comercial estava sendo cotado a R$ 4,02. Já em 17 de setembro, ele valia R$ 5,23 – uma valorização de cerca de 30% em pouco mais de 9 meses. 

No entanto, especialistas recomendam investir em dólar somente quem já tem outros investimentos – seja em ações, renda fixa ou outros ativos financeiros. Aqui também vale a regra de ouro de nunca colocar todos os ovos numa cesta só – a chave é diversificar.

Quais as maneiras de investir em dólar?

Para quem analisou todos os fatores e entendeu que faz sentido ter parte da carteira alocada em dólares, existem alguns caminhos para isso.

Apesar de comprar moeda em espécie ser o caminho mais óbvio, essa pode não ser a melhor opção – já que não é tão seguro manter dinheiro físico e existe incidência de IOF nessas transações. Segundo especialistas, o ideal é comprar dólar em espécie somente quando ele for realmente necessário, como no caso de viagens ao exterior. 

Caso contrário, existem outras opções para investir em dólar que podem ser mais vantajosas:

Fundos cambiais

Basicamente, fundos cambiais são fundos de investimento que alocam dinheiro em ativos atrelados a moedas estrangeiras, como o dólar e o euro. 

Neste caso, em vez de comprar a moeda diretamente, você investe em um fundo em que profissionais fazem a gestão dos investimentos.

Sobre este tipo de operação podem ser cobrados alguns encargos específicos, como Imposto de Renda, taxa de administração e IOF (para operações de compra e venda em menos de 30 dias). 

Mercado futuro

Também é possível investir na moeda norte-americana por meio de contratos futuros de dólar – que podem ser contratos cheio ou mini.

Os contratos futuros, como o próprio nome sugere, são aqueles em que o investidor se compromete a comprar ou vender certo ativo em uma data futura com um preço pré-determinado. 

Esse ativo pode valorizar ou desvalorizar, mas o preço determinado se mantém. Por isso, no momento de vencimento do contrato, os investidores podem tanto ganhar dinheiro com a valorização ou perder com a desvalorização.

Neste tipo de operação, a tributação segue a alíquota dos investimentos em renda variável. Veja mais detalhes.

Compra de ações de empresas estrangeiras ou exportadoras

Outra forma de investir em dólar indiretamente é comprando ações de empresas estrangeiras ou de companhias brasileiras exportadoras – nas quais grande parte das receitas são em dólares.

Negociar ações na bolsa de valores, entretanto, não é simples como investir em renda fixa, por exemplo. Por isso, vale estudar bastante sobre o assunto antes de começar ou contar com a ajuda de profissionais.

O dólar em 2020

Em um cenário de tantas incertezas como 2020, muitos investidores buscaram ativos considerados mais seguros, como o dólar. Mas, com o avanço da pandemia e cada país reagindo de formas diferentes aos seus impactos, esse cenário ficou mais complexo.

O banco central dos Estados Unidos (FED) imprimiu e injetou trilhões de dólares na economia para tentar diminuir o desemprego, manter a renda das pessoas e impedir que empresas fechem as portas. Mas mais moedas em circulação significa mais dólares disponíveis no mercado, e uma preocupação de desvalorização da moeda norte-americana no futuro. 

Além disso, existe uma preocupação com a taxa básica de juros americana. Atualmente com juros a 0,25% ao ano e tendência de se manterem baixos, o mercado teme que, no longo prazo, a inflação americana supere os juros – fazendo com que o dólar valha menos e menos com o passar dos anos.

Esse cenário incerto gera insegurança e acaba afastando investidores do dólar, que recorrem a outros ativos, como o euro e o ouro – mesmo que a moeda norte-americana continue sendo considerada forte e segura.

Por isso, antes de investir em dólar, é importante analisar todos esses fatores, entender o cenário econômico – global, americano e brasileiro – e conhecer seus investimentos.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.38

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post