Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Dicionário Financeiro O que é um ETF e como f...

O que é um ETF e como funciona esse tipo de investimento?

Os fundos de índices negociados em bolsa podem ser uma boa opção para quem busca diversificação de um jeito mais simples. Entenda.

Investir na bolsa, arriscando um pouco, mas sem arriscar demais. Essa é uma das formas de definir o interesse das pessoas pelo chamado ETF (Exchange Traded Fund, em inglês) ou fundo de índice.

Mas o que é ETF?

ETF é a sigla em inglês para Exchange Traded Fund, que pode ser traduzido livremente para fundo negociado em bolsa. Basicamente, é um fundo de investimento que tem como referência algum índice da bolsa de valores – como o Ibovespa ou o Índice Brasil. 

Muitos conceitos novos? Calma que vai ficar mais fácil de entender.

Fundo de investimento: um ETF é composto por uma série de ativos financeiros, administrados por uma gestora especializada, que tem como investidores um grupo de pessoas. Para investir no fundo, cada pessoa compra uma “cota” de participação – cujo valor varia de acordo com o produto.

Ou seja: em vez de investir diretamente, o investidor paga para ter uma cota de um fundo administrado por uma gestora.

Por estar atrelado a algum índice de referência, o ETF é composto de uma forma que consiga “imitar” o indicador. Um fundo referenciado no Ibovespa, por exemplo, deve ser composto pelas mesmas ações do índice e nas mesmas proporções.

O objetivo final é replicar os resultados de determinado índice. Se ele sobe, o ETF também deve subir na mesma proporção – e vice-versa.

Resumindo: ETF é como uma cesta de ativos financeiros – que podem ser de renda variável ou fixa –, administrada por uma gestora, que tem como referência algum índice.

Quais são os tipos de ETFs?

Existem ETFs de renda variável e ETFs de renda fixa.

ETFs de renda variável

Os ETFs de renda variável, também chamados de ETFs de Ações, são fundos negociados em Bolsa formados por ações que correspondem a um índice de referência reconhecido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), como o Ibovespa. 

ETFs de renda fixa

Já os ETFs de Renda Fixa são fundos negociados em Bolsa que buscam refletir as variações e a rentabilidade de índices de renda fixa – compostas principalmente por títulos públicos ou títulos privados.

Quais são as características de um ETF?

Como ETF é um investimento mais sofisticado do que uma ação ou o Tesouro Direto, por exemplo, é importante conhecer suas características antes de investir. São elas:

Diversificação

Como um ETF é composto por diversos ativos financeiros, o investidor consegue ter uma diversificação mesmo com um único produto.

Gestão passiva

Uma vez que a composição do ETF está atrelada a algum índice já existente, a gestora do fundo só precisa replicar os ativos e suas proporções – fazendo uma gestão passiva dos investimentos.

(Uma gestão ativa, por outro lado, é feita quando os ativos são escolhidos a partir de outros fatores e não estão atrelados a nenhum índice.)

Liquidez

Os ETFs são negociados nos pregões da B3, facilitando a compra e venda das cotas. Para fundos de índices de renda variável, o prazo para liquidação é de 2 dias a partir da data de negociação. Já para os de renda fixa, o prazo é de apenas 1 dia.

Quanto custa investir em ETFs?

Dá para investir em ETFs com pouco dinheiro. A partir de 28 de setembro, por exemplo, vai ser possível negociar apenas uma cota de ETF de renda variável na B3, a bolsa de valores brasileira – antes, a quantidade mínima era 10. 

As ETFs de renda variável também podem ser negociadas a partir de 1 cota. Por isso, o investimento inicial é baixo.

Além disso, também existem outras despesas para investir em ETFs:

  • Taxa de administração: uma taxa anual que varia de acordo com a corretora e o índice de referência. Como a gestão de um ETF é passiva, a taxa de administração costuma ser menor do que de fundos tradicionais;
  • Taxa de corretagem: dependendo da corretora, pode ser necessário pagar uma taxa de corretagem referente à intermediação das operações. Em algumas, entretanto, essa taxa não é cobrada;
  • Taxa de emolumentos: taxas cobradas pela B3 e pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia quando uma operação é realizada.

Como é a tributação dos ETFs?

Tanto os ETFs de renda variável quanto os de renda fixa estão sujeitos ao Imposto de Renda. A alíquota que incide sobre eles é de 15% sobre o rendimento, independentemente do prazo da aplicação.

Como investir em ETF?

Para investir em ETFs é necessário ter conta em uma corretora de investimentos. Com isso, basta acessar o home broker, pesquisar pelo ETF que você deseja comprar, escolher a quantidade de cotas e pronto.

Quer saber mais sobre investimentos? Confira outros conteúdos

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.73

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post