Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Quem tiver dívidas com o...

Quem tiver dívidas com o governo na pandemia poderá receber até 100% de desconto em juros

A partir de 1 de março de 2021, pessoas físicas e jurídicas que deixaram de pagar tributos federais por causa da Covid-19 poderão parcelar a dívida com desconto na multa e nos juros.

imagem de uma carteira com fitas em X e tira normal

Pessoas que contraíram certos tipos de dívida durante a pandemia do Covid-19 em 2020 terão direito a condições especiais de pagamento.

A medida, que foi publicada no Diário Oficial da União pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), permite a renegociação de débitos tributários que venceram entre março e dezembro de 2020, incluindo as dívidas relativas ao Simples Nacional. Pessoas físicas também poderão negociar débitos do Imposto de Renda relativos ao ano passado.

Ou seja: se você tem uma dívida acima de R$1 mil (pessoa jurídica) e R$100 (pessoa física) relativa a pagamento de impostos, a partir de março de 2021 será possível fazer uma renegociação especial. Entenda abaixo.

Como negociar a dívida?

Para negociar a dívida com a PGFN, ela deve ser inscrita na Dívida Ativa da União até 31 de maio de 2021.

Quem quiser participar deverá dar uma entrada de 4% do valor total do débito – essa quantia pode ser parcelada em até 12 meses. O saldo restante poderá ser parcelado em até:

  • 72 meses para empresas;
  • 133 meses para pessoas físicas, empresários individuais, micro e pequenas empresas, instituições de ensino e demais organizações da sociedade civil.

O acordo pode ser feito pelo Portal Regularize. Basta:

  1. Escolher a opção Negociar Dívida;
  2. Clicar em Acesso ao Sistema de Negociações;
  3. Preencher a Declaração de Receita ou de Rendimento, para que a PGFN verifique a capacidade de pagamento do contribuinte;
  4. O site irá liberar a proposta do acordo – se estiver tudo ok, o contribuinte poderá fazer a adesão;
  5. Depois disso, a pessoa deve pagar o documento de arrecadação da primeira prestação para que a renegociação seja efetivada.

Vale dizer que, caso não haja o pagamento da primeira prestação até a data de vencimento, o acordo é cancelado.

Quais são as condições para negociar a dívida com a PGFN?

Na hora da adesão para as pessoas jurídicas será levado em consideração o percentual de redução da renda bruta de 2020 quando comparada à de 2019 no mesmo período (com início em março e fim no mês anterior ao de adesão). Ou seja, quanto de renda aquele negócio perdeu entre um ano e o outro.

Para as pessoas físicas, o procedimento será o mesmo: comparação do rendimento bruto mensal de 2020 ao de 2019.

Para as pessoas jurídicas, o parcelamento oferece desconto de até 100% sobre os valores de multas, juros e encargos, levando em conta o limite de até 50% do valor total da dívida. Para as pessoas físicas, o desconto é de até 100% sobre os valores de multas, juros e encargos, respeitado o limite de até 70% do valor total da dívida.

É importante lembrar que, de acordo com a Constituição, a renegociação de dívidas com a Previdência Social está limitada a 60 parcelas – ou seja, cinco anos.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.45

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post