Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início O Nubank Dia do Orgulho LGBTQIA+:...

Dia do Orgulho LGBTQIA+: Nubankers compartilham seu orgulho

Nesta data de celebração e de luta, perguntamos à comunidade LGBTQIA+ do Nubank o que significa espalhar orgulho.

28 de junho é conhecido internacionalmente como o Dia do Orgulho LGBTQIA+. E orgulho é uma palavra muito forte e importante: não é algo que se encaixa ou se esconde. Orgulho se espalha, se compartilha, se mostra, se conta. 

O Nubank sempre teve muito orgulho da comunidade LGBTQIA+. Afinal, diversidade é um dos nossos pilares e buscamos construir um ambiente onde as pessoas são acolhidas e respeitadas por quem elas são – sejam Nubankers ou clientes.

Por isso, neste Dia do Orgulho LGBTQIA+, convidamos pessoas do Nubank que fazem parte da comunidade para espalhar seu orgulho por aqui – e nos ajudar a construir um mundo com mais amor e respeito.

1. Tatiane Lima, Designer de Produto no Brasil

“Orgulho poderia ser descrito como uma bandeira que levanto para demarcar e celebrar o direito ao afeto, alegria e amor. Mas também poderia ser comparado a um travesseiro para o qual eu olho todo dia, onde eu durmo em paz e sem culpa de ser quem eu sou.    

Caetano bem disse: cada um sabe a dor e delícia de ser o que é. As dores de ser LGBTQIA+ não se escondem. Estão nos jornais, nas redes sociais, na nossa vida cotidiana. As delícias precisam ser trazidas à tona. Trazer esse lado da moeda é parte do processo que evidencia nossa humanidade.

Ser LGBTQIA+ é enxergar o amor e a mim mesma com uma lente de múltiplas possibilidades.”

2. Daniel Varlese, Xpeer no Brasil

“Para mim, espalhar orgulho significa não ter medo ou vergonha de expressar quem eu verdadeiramente sou nem de manifestar o amor da maneira que eu verdadeiramente sinto.

Ficamos por muito tempo calados e escondidos, presos dentro de armários por culpa do preconceito e da desinformação. É necessário que nos vejam, nos ouçam, nos olhem e nos reconheçam.

Nós não temos vergonha de ser quem somos e por isso espalhamos orgulho, nossa principal forma de lutar contra o preconceito e a violência. O mês é de orgulho, mas é também de luta – e nós, LGBTQIA+, lutamos com orgulho pelo direito de ser quem somos e de amar da maneira que amamos.”

3. Julia Boeira, Engenheira no Brasil

“Espalhar orgulho é empoderar outras pessoas LGBTQIA+ a se sentirem confortáveis e seguras com quem são. Mostrar para essas pessoas que estão precisando de apoio que somos uma comunidade e que elas terão nosso apoio.

Sem orgulho, não teremos coragem de viver nossas vidas de forma plena. Nosso orgulho irradia orgulho para que outras pessoas possam se sentir orgulhosas.

Para mim, ser LGBTQIA+ significa viver de forma plena com quem somos, sem esconder que somos queer.”

4. Aldo Aparicio, Xpeer no México

“Ser  LGBTQIA+ significa liberdade, o direito de ser quem você realmente é e mostrar suas verdadeiras cores, independentemente de quais elas sejam.

Espalhar orgulho é uma chance de compartilhar que diversidade importa pra gente. Na verdade, nos preocupamos com os indivíduos e respeitamos as diferenças.

Porque estamos aqui, somos talentosos, assumimos desafios, estamos sempre dispostos a aprender e compartilhar e, o mais importante: não temos medo de mostrar nossas cores.”

5. Silvia Kihara, Recruiting Partner Manager no Brasil

“Espalhar orgulho significa não ter vergonha de ser quem somos. É desconstruir essa ideia de que “normal” é ser cis/hétero dentro da gente e nos espaços onde a gente circula. É confrontar os olhares de desprezo ou de surpresa até que sejam apenas olhares.

Espalhar orgulho é uma forma de mostrar para outras pessoas que pode ficar tudo bem, que elas não estão sozinhas nessa jornada. É mostrar que nós podemos ser muito felizes e criar a nossa própria família – quando as nossas famílias de origem nos viram as costas por não sermos quem eles gostariam que a gente fosse. 

Muitos de nós já sentiu vergonha, já sentiu medo. Em diversas situações, tivemos que lidar com desprezo. Eu já ouvi da minha avó que eu nunca seria feliz. Ouvi do meu pai que “namorar tudo bem, mas casar?”, ou que eu estava estragando a família. Ouvi da minha irmã que era uma fase. Já ouvi da minha mãe que não posso ter filhos, porque não é bom para as crianças. 

Não é fácil lidar com o desprezo. Não é fácil casar sem o apoio da família. Me orgulho muito de ter conseguido enfrentar meus medos e casar com o amor da minha vida. Nada como viver com a tranquilidade de ser quem se é e amar livremente quem a gente ama. Claro que tem um custo, mas viver um amor verdadeiro compensa cada dificuldade.

Quando grande parte da sociedade te considera anormal, te despreza e mesmo assim você consegue ser feliz, você ama e é amado, você constrói uma família, você deve ter muito orgulho de ser quem é.”

6. Henrique Teles, Xpeer no Brasil

“É necessário espalhar o orgulho para mostrar que não temos medo de não ser aquilo que a sociedade tenta nos impor desde que nascemos. Com essa mensagem, mostramos que cada pessoa precisa ser respeitada por sua orientação sexual ou manifestação de gênero.

Mostrar nosso orgulho pode ajudar pessoas que têm medo de se assumir ou se aceitar, principalmente para seus familiares ou em seu lugar de trabalho. É para essas pessoas que a mensagem de amor e aceitação precisa ser levada.

Espalhar o orgulho mostra todas as lutas que já conseguimos superar e, ao mesmo tempo, mostra que há diversos obstáculos no caminho para garantirmos a igualdade entre todes.”

7. Shay Bittencourt, Xpeer no Brasil

“Espalhar orgulho é compartilhar com outras pessoas o processo que foi transformar algo que antes era uma fonte de angústia, por ser uma coisa a ser escondida, em algo bonito e digno de respeito. É mostrar quem sou sem a vergonha de ser diferente.

Espalhar nosso orgulho é um processo de cura, de transformação e de aceitação. Compartilhar isso com o mundo é um remédio que ajuda outros que podem estar passando pelo mesmo que eu passei a se sentirem mais fortes e aceitos.

Ser LGBTQIA+, pra mim, é se dar conta do quanto a natureza é diversa e das tantas possibilidades de sermos. É reconhecer o quanto nossos corpos, desejos e vivências nos tornam únicos.”

8. Douglas Cruz, Xpeer no Brasil

“Espalhar orgulho é finalmente viver sem cogitar ser diferente de quem eu sou. Viver em paz com quem você naturalmente é ou virá a ser.

Passei muito tempo pensando em como a minha vida seria se eu fosse diferente nesse ou naquele aspecto. Isso é torturante! Não quero sentir isso nunca mais – nem quero que outras pessoas passem por isso.

O mundo precisa que a gente espalhe nosso orgulho. Eu desejo que toda a minha experiência envolvendo o meio LGBTQIA+ seja percebida como luta, conquista e evolução. Quero que o meu discurso motive todos a fazerem sua parte – e que não seja visto como algo raso, porque ninguém é supérfluo. 

Tenho total conhecimento de que, assim como eu, cada letra passou por suas lutas. Somos uma junção de histórias, derrotas e vitórias, mas com um mesmo objetivo: ser feliz e mostrar a essas pessoas que elas não estão sozinhas.”

9. Rodrigo Sanchez, Editor de Conteúdo no México

“Ser parte da comunidade LGBTQIA+ significa que conseguimos consolidar uma frente visível em termos de direitos, o que também se traduz em um processo constante de integração e em uma sociedade mais plural e moderna.

Pessoalmente, eu adoraria que o termo “LGBTQIA+” desaparecesse em algum momento. Isso significaria que alcançamos um nível de coesão social suficientemente bom para não precisar defender nossos direitos mais fundamentais. A não distinção e a não violência contra qualquer grupo em si seria o verdadeiro sucesso da comunidade.”

10. Thaís Canina, Business Developer no Brasil

“Ser LGBTQIA+ é poder me expressar do meu jeito, é poder gostar de quem me atrai, é ser livre para seguir minhas escolhas. É também poder contar com uma comunidade que apoia a diversidade, que não te julga por ser quem você é e que sabe que em toda forma de amar sempre haverá amor. 

Espalhar orgulho, para mim, é espalhar respeito. Não tenho mais medo de ser quem eu sou, mas ainda tenho medo dos que me julgam, dos que não me aceitam. Tenho medo do que pode acontecer comigo caso alguém não me respeite ou não me aceite.

O Brasil é um dos países que mais mata homossexuais no mundo. Nós temos orgulho de ser quem somos, mas temos um medo constante de não sermos aceitos, respeitados e incluídos. Isso não está certo e precisa ser mudado.

Espalhar orgulho é, acima de tudo, espalhar respeito e mostrar que cada um pode ser o que quiser – e que isso não te faz inferior a ninguém.”

11. Carlos Hernández Tellez, UX Researcher no Brasil

“Como arquiteto-urbanista e designer, a ideia de espalhar orgulho, para mim, está muito relacionada com ocupar espaços e abrir portas.

O orgulho de ser LGBTQIA+ se manifesta quando a gente consegue construir, habitar e participar ativamente de espaços aos quais historicamente não tivemos acesso. Isso se aplica a celebrações, baladas e blocos de carnaval sim – mas, ainda mais importante, tem a ver com poder chegar no trabalho, na faculdade, na vizinhança e sentir que você não precisa esconder nenhuma parte da sua identidade.

Para muitos de nós na comunidade LGBTQIA+, as referências profissionais são relativamente escassas – ainda mais em certas profissões. Espalhar orgulho significa trilhar e abrir novos caminhos, ganhar visibilidade e comunicar para as gerações mais novas que a capacidade de atingir suas metas não está impedida pela sua identidade LGBTQIA+.

Precisamos espalhar nosso orgulho para somar pessoas, construir parcerias e ganhar aliados, mesmo de fora da comunidade, para avançar a luta pelo respeito e igualdade, porque a sociedade como um todo ganha e se favorece quando isso acontece.”

12. Patricio Lecuona, Xpeer no México

“Para mim, fazer parte da comunidade LGBTQIA + significa fazer parte de um grupo de indivíduos que luta diariamente para quebrar as barreiras que a sociedade nos impôs. 

Espalhar nosso orgulho é necessário para dizer ao mundo que estamos aqui, que continuaremos aqui e que não iremos nos esconder. Que não há nada de errado em ter orgulho de amar e que misturar diferenças é a fórmula que nos levará ao sucesso. Não apenas no Nubank, mas em todos os aspectos do nosso mundo.”

13. Gabriela Lopes, Xpeer no Brasil

“Espalhar orgulho é espalhar o amor e o acolhimento para a comunidade toda, para que todos nós consigamos ser quem somos sem medo e ter suporte de um grupo para nos descobrirmos.

Se conhecer e se descobrir não é algo fácil, ainda mais quando você é diferente de todas as referências em volta. Espalhar o orgulho não é só sobre mim, é sobre empoderar as pessoas à minha volta para que elas possam se questionar sobre sua orientação sexual e dizer: “Tá tudo bem, você não está sozinhx”.

Além de acolher a comunidade, nós também precisamos de acolhimento. Dizer que eu existo e tenho orgulho de quem sou é essencial para que minha orientação seja vista com normalidade e não seja mais questionada.”

14. Marcel Izar, Médico Ocupacional no Brasil

“Espalhar orgulho significa usar minha voz, trajetória e privilégios para abrir caminhos a novas pessoas que se identifiquem conosco (LGBTQIA+) e, principalmente, ajudar outras no aprendizado sobre respeito à comunidade.

A comunidade LGBTQIA+ do Nubank, por exemplo, mostra que você pode ser você mesmo e ainda assim ter bons cargos, reconhecimento e ser julgado pelo seu trabalho – e não pela forma que você vive ou se expressa. 

Quando espalhamos o orgulho que temos de sermos quem somos, abrimos espaço para discussões, argumentações, aprendizados, quebra de estigmas e preconceitos. Desta forma, uma pequena ação nossa pode ter um impacto gigante para que uma pessoa que está se descobrindo tenha um caminho de maior aceitação e menos repressão do que normalmente teria.”

15. Matheus Barbosa, Product Marketing Manager no Brasil

“Na prática, ser LGBTQIA+ significa construir uma família envolta em respeito e empoderamento, que muitas vezes cumpre o papel da família de origem quando não temos esse apoio vindo de casa.

Um dos lemas da nossa comunidade é “fervo (ou celebração) também é luta”. A comunidade LGBTQIA+ mostra que, apesar de todas as adversidades e barreiras que encontramos para inclusão social e no mercado de trabalho, encontramos motivo suficiente para celebrar nossas identidades e o orgulho que temos em viver exatamente como somos.

Espalhar o orgulho é reforçar que todas as formas de amor e identidade são lindas e especiais, e que isso nos torna ainda mais únicos.

Juntos, podemos trabalhar para aumentar a visibilidade das nossas barreiras sociais e a representatividade que tanto precisamos em todos os meios sociais: na arte, na política, no mercado de trabalho, na mídia e na educação. Precisamos espalhar o orgulho para mostrar que continuamos lutando para ocupar nossas casas, empresas e as ruas, independente de todas as barreiras (físicas ou não).”

16. Helena Zanini, Engenheira no Brasil

“Nós crescemos em uma sociedade que define o Homem e a Mulher e pune quem foge dessa definição. As coisas melhoraram um pouco, e mostrar ao mundo quem somos é uma das maneiras de construir uma sociedade ainda mais inclusiva no futuro.

Espalhar nosso orgulho é importante para mostrar a outras pessoas que uma nova forma de viver é possível. Que pessoas que estão se questionando não estão sozinhas. E, para as pessoas que vivem de acordo com a norma, que nós existimos e queremos habitar o mesmo espaço que todos.”

17. José Junior, Tech Recruiter no Brasil

“Acima de tudo, ser LGBTQIA+ significa se orgulhar de ser quem você é. A maioria de nós vem de uma trajetória marcada por tentativas de apagar ou diminuir a nossa identidade como uma forma de adequação ao “normal”, para que você seja permitido a participar de alguns aspectos da vida em sociedade.

Eu já passei por isso, mas, à medida que essa autoconsciência sobre quem eu sou começou a emergir em mim, em vez de aceitar essas imposições eu passei a contestá-las – e, para mim, é aí que o orgulho se transforma em luta.

A partir desse momento, quando você está muito confortável e orgulhoso de quem você é, você não só passa a contestar essas opressões sistêmicas do dia a dia como também começa a pensar no valor que você tem e no quanto você não merece passar por essas agressões.

Foi assim que esse inconformismo surgiu em mim e hoje eu tenho orgulho de pertencer a comunidade LGBTQIA+ e de ajudar a mudar essa realidade – que ainda se mantêm nos dias de hoje, apesar dos espaços já conquistados com as lutas de nossos antecessores.”

Espalhe seu orgulho nas redes sociais com a #OrgulhoSeEspalha.

Entenda a importância de lideranças LGBTQIA+ nas empresas.

4.48

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post