Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Bitcoin: o que é e como...

Bitcoin: o que é e como funciona a moeda digital?

O bitcoin é, basicamente, uma criptomoeda digital descentralizada. Saiba o que isso significa.

Nos últimos anos, o termo bitcoin se tornou popular e virou notícia em todo o mundo, por diversos motivos – seja sua valorização ou desvalorização rápida, seja as histórias de pessoas que ficaram milionárias com bitcoin ou os casos de quem  perdeu tudo. Mas o que é bitcoin? Como funciona?

O que é bitcoin?

O bitcoin é uma criptomoeda digital, a primeira criada no mundo, e pode ser usada para a compra de serviços, produtos e quaisquer outros itens em estabelecimentos que aceitem ser pagos com ela.

Uma das grandes diferenças é que ela não possui uma moeda ou cédula física; ela é inteiramente digital, formada a partir de um código único.

Ela é a primeira moeda descentralizada do mundo. Isso significa que ela não é regulada por governos, bancos ou empresas e que é possível comprar, enviar e receber bitcoins sem nenhum intermediário, como bancos ou redes de cartão de crédito. 

Além disso, é uma moeda limitada. Diferente do real, dólar e euro, moedas que podem ser emitidas conforme os países sentirem necessidade, o bitcoin e seu código foram criados de forma que somente 21 milhões de moedas possam ser emitidas – este é o seu limite; até 2018, 16 milhões de bitcoins já haviam sido emitidas.

Como funciona o bitcoin?

O bitcoin é negociado na internet em uma rede própria, o blockchain; ele é um banco de dados onde são registradas todas as transações bitcoin entre os participantes de rede. Ela também é descentralizada e é aberto, embora as informações dos participantes sejam anônimas. 

Cada transação de bitcoin é feita entre os membros, registrada através de um software e também por membros mineradores, que verificam cada transação. Depois de validadas, as transações são acrescentadas a blocos de transação – daí o nome blockchain – a cada 10 minutos, quando são criados novos blocos. Por conta dessa validação, nunca foi possível, até hoje, fraudar bitcoin.

Os bitcoins de cada usuário são armazenados nas chamadas carteiras digitais, por onde é possível transferir e acessar as moedas. Elas são, basicamente, programas e softwares instalados em computadores e celulares.

O que é o blockchain?

Ele é um sistema que permite rastrear o envio e recebimento de alguns tipos de informação pela internet. São pedaços de código gerados online que carregam informações conectadas – como blocos de dados que formam uma corrente – daí o nome. 

Apesar de estar diretamente relacionado com o bitcoin, hoje ele não se resume a isso. Além do bitcoin e das demais criptomoedas, o blockchain também pode ser usado para validação de documentos – como contratos e troca de ações –, transações financeiras, comercialização de músicas ou filmes, rastreamento de remessas e até votos.

Veja aqui tudo – de forma simples! – sobre blockchain.

Quanto vale o bitcoin? Quem decide o valor dele?

O bitcoin, como qualquer moeda, sofre variações diárias e segue a lei da oferta e da demanda. Entretanto, ele apresenta uma oscilação muito grande e pode variar, em um dia, até 20% – principalmente por dois motivos: o fato de o bitcoin ser limitado e a alta demanda pela moeda.

A popularização de carteiras digitais, surgimento de corretoras de bitcoin e notoriedade da própria moeda em si fez com que a busca por bitcoins aumentasse, aumentando também a sua cotação em relação às moedas tradicionais. 

A cotação do bitcoin normalmente segue a referência do dólar; portanto, qualquer oscilação no preço da moeda norte-americana impacta o valor do bitcoin no Brasil.

Bitcoin é seguro?

Um dos pilares do bitcoin e das criptomoedas é a criptografia. Neste sentido, ele é seguro: não é possível clonar ou fraudar o bitcoin. 

Entretanto, a falta de regulamentação da moeda pode ser um problema – e o próprio Banco Central do Brasil alerta sobre os riscos em seu site. Ataque de hackers, erros de servidor e perda da assinatura virtual do bitcoin são alguns dos riscos que podem acarretar na perda de todas as criptomoedas e, consequentemente, de um alto valor financeiro. 

Investir em bitcoin

A valorização do bitcoin levou muitas pessoas a buscarem essa moeda como uma forma de investimento e, hoje, existem corretoras e empresas especializadas na oferta de bitcoin. Vale lembrar que esse é um investimento de alto risco e que, na mesma proporção que pode enriquecer as pessoas muito rapidamente, também pode fazer com que percam muito dinheiro. 

Além disso, os investimentos em bitcoin também são tributados pelo Imposto de Renda, no caso de lucros acima de R$ 35 mil, e devem ser incluídos na declaração do IR.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.